Nav icon
what-else-mag-cultura-cinema-tv-black-mirror-cover
Cult +

12 filmes que você precisa ver se gostou de Black Mirror

Postado por Alisson Prando / 10 November, 2016

O cinema e a televisão sempre foram mídias de entretenimento para escapismo, fantasiando o mundo entre o passado, presente e futuro. Contudo, as vezes essa reprodução pode ser um espelho da realidade e produções como Black Mirror tocam na ferida do caminho que estamos trilhando. Sucesso absoluto no Netflix, com temas sobre mundo impessoal, digitalizado e emoções estremecidas, a série cutuca um assunto que vem sendo exposto no cinema há um século. Listamos 12 filmes estilo Black Mirror!

Verdade que ‘Black Mirror‘ é uma das melhores séries criadas nos últimos anos – mesmo que com a recente saída do canal britânico Channel 4 para a plataforma de Streaming Netflix, tenha mudado radicalmente o seu tom sombrio para algo mais comercial e teen. Criada por Charlie Brooker, a série perpassa por temas como política e tecnologia, quase sempre tecendo metáforas pessimistas em uma realidade distópica, porém realmente próxima do nosso mundo atual.

what-else-mag-cultura-cinema-tv-black-mirror-01

Recheada de questionamentos filosóficos e bioéticos, é comum que o espectador durante qualquer um dos episódios da série, se coloque no lugar da personagem na tela e se pergunte se faria aquilo ou não, como no episódio em que uma mulher resolve clonar em forma de boneco seu marido recém-falecido com os dados de suas redes sociais, mesmo que ele não tenha capacidade de sentir empatia, ou quando uma versão hiperbólica do reality show ‘The X Factor’ obriga uma garota a ‘prostituir-se’ em filmes pornôs porque ela era realmente estonteante e não deveria ser cantora.

No espírito ‘Black Mirror’, a What Else Mag criou uma lista com filmes incríveis, clássicos e alternativos, que poderiam com facilidade tornarem-se episódio de uma das séries que virou mania ao redor do globo:

NERVE: UM JOGO SEM REGRAS (2016) – Ariel Schulman & Henry Joost

what-else-mag-cultura-cinema-tv-nerve

Lançado este ano, o longa metragem tem Emma Roberts no papel de Vee, uma jovem do subúrbio de Nova Iorque, sem muita vida social, que resolve entrar no Nerve, um jogo virtual de “Verdade ou Desafio” que é acompanhado por vários usuários on-line. Enquanto alguns usuários buscam fama instantâneo por meio de pequenos desafios e feitos no jogo, a jovem testa a si mesma atrás de emoções diferentes, mas logo se torna vítima de um roubo de identidade pelos organizadores dos jogos. Ao lado de Dave Franco como Ian, ela deverá fazer de tudo para conseguir ter sua vida de volta.

HER (2013) – Space Jonze

what-else-mag-cultura-cinema-tv-her

Conta a estória de Theodore Twombly, um homem emotivo que ganha a vida escrevendo cartas pessoais para outras pessoas. Depois de terminar um relacionamento, Theodore se apaixona por um avançado sistema operacional com uma operação única e intuitiva. Além da fotografia deslumbrante, a trilha sonora faz com que o filme seja ainda mais vivo e se conecte com o presente.

VANILLA SKY (2001) – Cameron Crowe

what-else-mag-cultura-cinema-tv-vanilla-sky

Em New York, David Alames é um jovem empresário dono de um verdadeiro império do mercado editorial. Sua vida muda radicalmente quando se apaixona por Sofia Serrano, uma bela e jovem mulher latina. Uma de suas amizades coloridas, Julie Gianni, enciumada, o convence de que eles precisam conversar e quando David termina com ela, Julie joga o carro de cima de um viaduto. Julie morre e David sobrevive, mesmo ficando com o rosto desfigurado. Em coma, David começa a confundir a realidade e a fantasia de maneira sinistra e assustadora.

MATRIX (1999) – Lana Wachowski & Lilly Wachowski

what-else-mag-cultura-cinema-tv-matrix

Thomas Anderson vive num futuro próximo e é um programador que é frequentemente atormentado por pesadelos onde acorda preso à cabos cibernéticos, contra a sua vontade, imerso num sistema de computadores do futuro. Acordando sempre assustado, ele começa a ter dúvidas sobre a realidade. Ao encontrar Morpheus e Trinity, ele descobre que as pessoas estão manipuladas por um sistema chamado Matrix, capaz de dominar as vidas das pessoas. Morpheus, no entanto, acredita que Thomas é o messias capaz de enfrentar o sistema e libertar as pessoas. ‘Matrix’ mudou o cinema ao apresentar novos efeitos especiais e uma distopia futurista épica.

METRÓPOLIS (1927) – Fritz Lang

what-else-mag-cultura-cinema-tv-metropolis

Um dos filmes mais importantes de ficção científica da história do cinema mundial, ‘Metropolis’ apresenta o ano de 2026, onde a população mundial se divide em duas classes: uma elite dominante e a classe operaria, essa condenada desde a infância a viver uma subvida, escrava de monstruosas máquinas que controlam a cidade. Quando o filho do criador de Metropolis se apaixona por Maria, a líder dos operários, uma luta de classes é travada de maneira poética. Um clássico do expressionismo alemão.

O CONGRESSO FUTURISTA (2013) – Ari Folman

what-else-mag-cultura-cinema-tv-the-congress

Dirigido por Ali Folman, ‘The Congress’ perpassa por um futuro próximo, onde os atores reais já não são necessários, pois uma tecnologia digital os substitui por hologramas para seus filmes e trabalhos. Uma atriz desempregada, lidando com a pressão do tempo, se vê pressionada a assinar um contrato que cede os direitos de sua imagem para sempre aos milionários estudios de Hollywood. ‘The Congress’ é um filme de meta-cinema que faz críticas ácidas ao mercado cinematográfico e traz atuações sólidas, além de cenas de animação surpreendentes.

EX MACHINA (2015) – Alex Garland

what-else-mag-cultura-cinema-tv-ex-machina

Num refúgio montanhoso de um bilionário da indústria de tecnologia, um jovem participa de uma experiência bizarra: testar a inteligência artificial de um androide. A experiência vai se tornando uma batalha psicológica, quando o garoto se apaixona pelo ciborgue, levantando questionamentos entre homem e máquina. ‘Ex Machina’ tornou-se um dos melhores filmes de ficção científica feitos recentemente.

O DOADOR DE MEMÓRIAS (2014) – Phillip Noyce

what-else-mag-cultura-cinema-tv-the-giver

Baseado no livro “O Doador” (1993) de Lois Lowry, o filme de drama e ficção científica retrata um mundo perfeito, onde não há mais guerras, racismo, tristezas ou doenças, todos são membros de uma comunidade e são encarregados de uma função específica. Aos 12 anos de idade, Jonas é selecionado para ser o novo Receptor de Memórias da sua comunidade, uma pessoa que tem a missão de guardar todas as memórias, indesejáveis ou não, do passado e tristezas dos habitantes. Contudo, diante dessas novas descobertas, Jonas se vê em meio a difíceis situações e escolhas, descobrindo que tal utopia, é uma verdadeira distopia.

MR NOBODY (2009) – Jaco Van Dormael

what-else-mag-cultura-cinema-tv-mr-nobody

Em um futuro próximo, Nemo Nobody tem 118 anos e é o último homem mortal a conviver com pessoas imortais. Sua imagem é então explorada pela mídia e ele se torna uma celebridade. Durante esse período, ele relembra seus anos de juventude e faz paralelos de como seriam seus casamentos imaginários. O filme é trabalhado sob a teoria das cordas, uma teoria física-matemática, que versa sobre tempo e espaço.

VIAGEM À LUA (1902) – Georges Méliès

what-else-mag-cultura-cinema-tv-viagem-lua

De valor histórico inestimável, ‘Le Voyage Dans La Lune’ influenciou o mundo das artes num geral, desde o cinema às artes plásticas, até a música – a banda Air tem um disco baseado no filme. O longa conta a história de uma expedição de homens corajosos que vão à Lua. Lá eles encontram seres nada amistosos, são capturados e devem fugir para retornar à Terra. Um verdadeiro clássico e um dos primeiros filmes de ficção científica da história.

BRILHO ETERNO DE UMA MENTE SEM LEMBRANÇAS (2004) – Michael Gondry

what-else-mag-cultura-cinema-tv-brilho-eterno-mente-lembrancas

Depois de descobrir que sua ex-namorada passou por um processo experimental que o apagaria de suas memórias, Joel decide passar pela mesma experiência. Durante a jornada, ele percebe que não quer de fato esquecê-la.

Æon Flux (1991) – Peter Chung

what-else-mag-cultura-cinema-tv-aeon-flux

Em 2415, a raça humana foi quase totalmente dizimada por um vírus mortal, exceto em duas cidades vizinhas: Monica e Bregna. Esta é uma cidade-fortaleza aparentemente perfeita: muito organizada, limpa, de construções grandiosas e de incrível beleza. Por outro lado, pessoas somem inexplicavelmente, o que faz um grupo de rebeldes investigar o que está acontecendo ali.

O que você achou?