Nav icon
Djs Lily Scott E Nicolas Abe
Radar

Entre no Fervo da Música Fashion dos Djs Lily Scott E Nicolas Abe

Postado por Alisson Prando / 21 September, 2018

Com o projeto “Lily & Nico”, o duo tem feito as pistas de dança de São Paulo suarem madrugada adentro.

Se você circula pelas baladas do centro de São Paulo, provavelmente já deve ter se deparado com a dupla Lily & Nico. Formada pelos Djs Lily Scott e Nicolas Abe, o duo anima as principais festas de clubes frequentados por uma galera jovem, antenada e sedenta por novidades, como Yacht, Jerome, Lions e Bar de Cima. Adeptos de sets recheados de house, disco, pop e montagens originais, a proposta do casal é trazer algo inovador à noite paulistana – e talvez até do mundo.

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“Unimos a nossa amizade ao gosto musical e a moda e assim surgiu Lily e Nico.” (Nicolas Abe)

Talentosos, criativos e super fashionistas, os DJs também estão na crista da onda dos principais eventos de moda da cidade, como a Casa SephoraCasa de Criadores e festas das marcas Timberland e Chilli Beans, sempre investindo em looks originais assinados por estilistas nacionais e gringos ou customizados por stylists que buscam referências ousadas na cultura pop. Os Djs Lily Scott e Nicolas Abe trazem uma enorme bagagem e história no meio da música, não pudemos deixar de bater um papo com o duo sobre festas, influências, moda e curiosidades da intimidade, claro!

CONHEÇA UM POUCO DA HISTÓRIA DOS DJS LILY SCOTT E NICOLAS ABE

Como vocês se conheceram e decidiram formar o duo enquanto DJs?

Lily Scott: Nico e eu nos conhecemos há anos. Há tanto tempo que fica difícil precisar quando viramos amigos. Temos gostos muito parecidos, influências musicais congruentes e algumas paixões em comum, sendo duas delas música e moda. Trabalhamos com noite e música há muito tempo e quem conhece o Nicolas Abe e a mim, sabe um pouco o que esperar de nós na pista quando estamos sozinhos. Agora, o desafio é mostrar para as pessoas o que o nosso projeto em conjunto pode levar de sonoridade e de diferente de tudo o que apresentamos sozinhos até aqui.

Acompanhei o começo do Nico e ele o meu. Sempre separados, mas ainda assim, sempre juntos e próximos. O projeto surgiu da noite para o dia, na realidade. Sempre brincávamos com “ah, temos que tocar juntos um dia desses”, mas nunca o fizemos. Sempre houve a conexão, a sinergia e a vontade dessa troca, mas nada concreto. Bastou uma conversa de meia hora pra nos perguntarmos o porquê de não termos feito isso anos antes (risos). Acho que precisávamos nos encontrar de vez em um momento mais maduro de nossas carreiras para fazer acontecer da melhor maneira possível.

Como dividimos a paixão pelo house, tech house e disco e não tocamos muito disso quando estamos “solo”, o projeto é bastante voltado para essas vertentes, mas não nos impede em nada de tocar músicas conhecidas pela galera (pelo contrário, aliás) e mais comerciais. Gostamos de apresentar músicas que fazem parte do nosso dia a dia e também de nossa história, mas também músicas atuais.

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“Estamos num mercado onde precisamos entender o que a pista quer ouvir.” (Nicolas Abe)

Nicolas Abe: Eu e a Lily nos conhecemos há muito tempo. Não sei dizer exatamente quando, mas acompanhamos o início de carreira um do outro desde o comecinho. Por incrível que pareça o duo “Lily & Nico” é o primeiro projeto onde de fato estamos juntos. Sempre pertencemos a mesma cena, produzimos festas e somos residentes nos mesmos clubes, mas nunca havíamos trabalhado tão de perto assim quanto agora.

Decidimos nos tornar uma dupla quando percebemos que estávamos no mesmo momento: a descoberta, paixão e aposta pela música eletrônica. Durante uma conversa despretensiosa fortalecemos essa conexão e rolou. Foi bem natural e orgânico. Unimos a nossa amizade ao gosto musical e a moda (que é outra coisa que amamos da mesma forma) e assim surgiu “Lily e Nico”.

O que significa ser DJ no contemporâneo?

Lily Scott: Acredito que o mesmo que sempre significou: apresentar músicas novas para a pista, dividir referências e levar alegria às pessoas fazendo aquilo que se ama. Talvez a percepção do público tenha mudado nos últimos anos e as expectativas sejam diferentes de acordo com cada evento/festa, mas ao meu ver, posso resumir dessa forma.

Nicolas Abe: Para mim um DJ contemporâneo é aquele que leva para as pistas a novidade e o que está fazendo sucesso agora. Nós somos contemporâneos, ainda mais quando o assunto é festa de música pop. Estamos num mercado onde precisamos entender o que a pista quer ouvir e saber o que as pessoas esperam de nossas apresentações. É necessário estarmos ligados nas novidades. Diria que basicamente vivemos uma pesquisa maravilhosa e eterna (risos).

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“As festas em São Paulo apresentam diversos tipos de cenários para diferentes gostos e gêneros musicais.” (Lily Scott)

O que é imprescindível para que uma festa seja perfeita?

Lily Scott: Além de DJ, tanto Nico quanto eu, somos também produtores de festas. E antes disso, somos clientes e bailarinos de pista (risos). Explorando a visão completa do negócio, para uma festa ser perfeita acho que precisa ter um conjunto de coisas essenciais: estar entre amigos, vibe boa, estrutura que não estresse a pessoa (como falta de banheiros na festa, fila pra fumar, etc). Se tiver música boa então, é a festa da vida (risos).

Nicolas Abe: Faço das palavras da Lily, as minhas! Uma festa perfeita é um conjunto de coisas que precisa funcionar de fato. Uma boa curadoria musical, boa estrutura, equipe treinada e bem orientada e VIBE! Tudo isso torna a festa perfeita e certamente o cliente se sentirá feliz e abraçado!

O que vocês pensam sobre a cena atual de festas em São Paulo?

Lily Scott: Apesar de o país estar afundado em uma de suas maiores crises (e estarmos todos assistindo ao encerramento das atividades de vários clubes/casas noturnas), acho que a cena nunca esteve tão completa. As festas em São Paulo apresentam diversos tipos de cenários para diferentes gostos e gêneros musicais. Há festas de música brasileira com artistas incríveis, festas e festivais de música eletrônica que trazem um line-up que até há alguns anos muitos de nós só esperaria ter acesso se fosse à uma festa na gringa, festas e clubes voltados ao mundo da música puramente comercial, etc.

Nicolas Abe: A noite em São Paulo é maravilhosa, completa e invejável. Levando em consideração a quantidade de clubes e festas de todos os gêneros, acredito que a cena é muito boa e estamos bem servidos em todos os âmbitos. Existem altos e baixos como em todo negócio, claro, mas este é um puta mercado que se fortalece cada vez mais.

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“Assim como a música, tenho uma ligação forte e sincera com a moda.” (Lily Scott)

Podem comentar um pouco sobre a relação de vocês com a moda? Quais os artistas que mais vos inspiram musicalmente e visualmente também?

Lily Scott: São muitos e de épocas e estilos bem distintos, mas dá para pontuar alguns que me inspiram musicalmente, com certeza: Marvin Gaye, Michael Jackson e também The Jackson 5, Peter, Paul & Mary, Stevie Wonder, Nina Simone, Donna Summer, Elza Soares, ABBA, Bee Gees e AC/DC.

Artistas que me inspiram visualmente? Acho que consigo sintetizar em dois grandes ícones: Michael Jackson e Ru Paul. Assim como a música, tenho uma ligação forte e sincera com a moda. Não acompanho tendências ou fico freak atrás de “itens do momento”, longe disso aliás, mas busco referências de coisas que gosto em amigos, ídolos, em minhas viagens, em pessoas na rua, na pista, meu olhar é bem atento. Na realidade, o jeito que me visto é algo realmente natural pra mim, é uma forma de me expressar, como tantas outras. Certa vez perguntaram a um grande amigo em um tom de visível incômodo o porquê de eu aparecer “montada” com frequência se eu sou mulher, qual o propósito disso. Minha resposta é clara e única: nenhum propósito, somente porque eu posso me vestir da forma que eu bem entender e gostar. E é o que faço absolutamente todos os dias.

Nicolas Abe: Minha relação com a moda é bem genuína! Sempre gostei e busquei formas diferentes de me expressar e de me vestir. Já tive uma marca que levou meu nome, apresentei coleção em desfile e durante muito tempo fiz meus próprios looks. Como não dá para fazer tudo nessa vida, optei por seguir o caminho da música, mas trouxe a moda a tira colo, dentro da minha bolsa (risos). Assinei muitas trilhas de desfiles na Casa de Criadores e sempre que vou tocar gosto de mostrar meu lado fashion e montado nas cabines, seja vestido de menino ou de menina (risos). Vale dizer que com o duo “Lily & Nico” essa parte de montação fica ainda mais interessante, porque o impacto visual vem em dobro e nós completamos a imagem um do outro.

Entre alguns dos artistas que me inspiram musicalmente estão a Kelis, Michael Jackson, Prince, Kylie Minogue, Lady Gaga, George Michael e Troye Sivan. Já os que me inspiram visualmente, além dos nomes citados acima, estão algumas figuras icônicas como os estilistas como Karl Lagerfeld, Rei Kawakubo e Donatella Versace e a editora de moda Anna Dello Russo.

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“Sempre gostei e busquei formas diferentes de me expressar e de me vestir.” (Nicolas Abe)

O que gostariam que as pessoas soubessem sobre vocês que elas ainda não sabem?

Lily Scott: Muitas coisas, mas sobretudo que sou uma pessoa como qualquer outra, com dias bons e ruins, mas que independente de qualquer coisa sempre tento dar o meu melhor em absolutamente tudo que faço. E que detesto telefone e amo e-mails! (risos).

Nicolas Abe: Eu só vou fazer algo se puder me doar 100% a aquilo! Caso contrário, não faço. E ah, também sou míope e geralmente não enxergo ninguém na escuridão da boate, ainda mais se a pessoa acena de longe! Não é carão, ok? (risos).

Onde vocês compram suas roupas?

Lily Scott: Procuro sempre garimpar minhas peças durante viagens. Antes de ir para qualquer lugar, procuro por brechós e feiras e é nesses lugares que compro basicamente tudo que tenho em meu armário. Gosto de pensar que cada peça tem história e que de alguma forma farei parte disso.

Nicolas Abe: Em tantos lugares… Mas vou citar a Zara. Sempre que entro lá não saio de mãos vazias!

Colecionam alguma coisa?

Lily Scott: Sim! Coleciono vinis, bebidas, óculos de sol, velas, bolsas, viagens, amigos, momentos e músicas (risos).

Nicolas Abe: Blusas de paetê, remixes e muitos amigos.

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“Eu posso me vestir da forma que eu bem entender e gostar.” (Lily Scott)

Um talento secreto:

Lily Scott: Sou ótima com coisas manuais.

Nicolas Abe: Eu até que levo jeito pra cozinhar, viu? Modéstia a parte meu feijão e meu carbonara são ótimos (risos).

A última compra de que se orgulham:

Lily Scott: Uma bota linda da New Rock em um brechó em Amsterdam.

Nicolas Abe: Um corretivo babadeiro da Kat Von D.

Uma música, banda ou disco para ouvir num dia melancólico:

Lily Scott: “Ferido” – Johnny Cash.

Nicolas Abe: “Coisas Menores” – Lily Allen.

Três coisas que levariam para uma ilha deserta:

Lily Scott: Caixa de som, todos meus playlists e amigos. Festa todo dia!

Nicolas Abe: Meu marido, nosso coelho e muito protetor solar!

Drink favorito:

Lily Scott: Só um? (risos). Dois, vai: Penicillin e Negroni.

Nicolas Abe: Gin Tônica.

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“Sou exigente demais.” (Lily Scott)

Remédio favorito:

Lily Scott: Música.

Nicolas Abe: Cafuné!

A cor que mais usam no guarda-roupa:

Lily Scott: Preto. Claramente.

Nicolas Abe: Preto e Branco. Amo fazer a monocromática!

Sua peça de roupa favorita e por quê?

Lily Scott: Meus óculos de sol favorito, um preto de gatinho da Les Specs. Levo pra tudo quanto é canto e uso tanto que suspeito que a peça um dia vai sair andando sozinha.

Nicolas Abe: Conjunto de moletom: Calça + Blusa. Eu amo porque funciona de dia, de noite e na maioria das ocasiões!

Uma mania:

Lily Scott: Acender incenso e vela todo santo dia.

Nicolas Abe: Retocar o blush.

Fico fora do sério quando…

Lily Scott: Me apressam.

Nicolas Abe: Não acho o que procuro.

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“Gostamos de apresentar músicas que fazem parte do nosso dia a dia e também de nossa história.” (Lily Scott)

Seu autor favorito:

Lily Scott: De um ano pra cá, Haruki Murakami.

Nicolas Abe: José Roberto Marques.

Um filme que sempre vale a pena ver de novo:

Lily Scott: Todos que tenham tema natalino (risos).

Nicolas Abe: Meninas Malvadas (risos).

Um vício:

Lily Scott: Eita! (risos). Vários. Vamos colocar chocolate, vai…

Nicolas Abe: Frituras em geral (risos).

Um medo:

Lily Scott: Perder pessoas próximas.

Nicolas Abe: De morrer cedo demais. Quando eu tiver 95 anos ainda terei esse medo. Sempre será cedo para partir!

Uma comida para o resto da vida:

Lily Scott: Batata. Batata-frita, purê de batata, batata doce, batata assada, sei lá, qualquer coisa com batata!

Nicolas Abe: Ai que difícil, mas eu escolheria comida japonesa, obvio!

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“Meu Remédio favorito é música.” (Lily Scott)

Uma comida que não comem de jeito nenhum:

Lily Scott: Fígado. Eca!

Nicolas Abe: Difícil também, sou muito de boas e como de tudo.

Seu melhor defeito:

Lily Scott: Sou exigente demais.

Nicolas Abe: Exigência.

Uma cidade onde morariam:

Lily Scott: Amsterdam.

Nicolas Abe: Barcelona.

Se não trabalhassem com música, trabalhariam com…

Lily Scott: Com o que já trabalho no paralelo. Projetos, sonhos, pessoas e em como transformar momentos em experiências únicas que impactarão de alguma forma a minha vida e de outros.

Nicolas Abe: Com moda talvez.

Um herói:

Lily Scott: Minha mãe. E todos da Marvel (risos).

Nicolas Abe: Tive a sorte de ter três mães e elas são minhas heroínas: Minha mãe de fato, minha avó e minha tia!

Djs Lily Scott E Nicolas Abe

“A cor que mais usam no guarda-roupa é preto e branco. Amo fazer a monocromática!” (Nicolas Abe)

Como é o seu domingo ideal?

Lily Scott: Leve, sem preocupações, fazendo um monte de nada e com pessoas que amo.

Nicolas Abe: Aquele domingo sem hora pra nada, sem ter que cozinhar nada, sem trabalho, só com Netflix, marido, pets e muita comida boa! (risos).

Como enxergam suas vidas em dez anos?

Lily Scott: Não faço a menor ideia, mas espero continuar plena, com amor, muitos amigos, só vibe boa, música e pessoas que amo por perto.

Nicolas Abe: Em dez anos tanta coisa pode mudar, mas independente de tudo, espero estar com muita saúde e com pessoas do bem ao meu lado!

Um sonho:

Lily Scott: Viajar o mundo. Se eu puder fazer isso levando alegria às pessoas através da música, melhor ainda.

Nicolas Abe: Conhecer o mundo!

Curtiu a entrevista com os DJs Lily Scott e Nicolas Abe? Veja também nosso papo com outra mente criativa, o jornalista e fashionista caçador de tendências Jorge Grimberg, além do jovem cantor revelação da nova música popular brasileira Rodrigo Alarcon.

Fotos: Divulgação

O que você achou?