Nav icon
cantor saro
Cult +

A Imersão Soturna No Trabalho Musical do Cantor Saro

Postado por Alisson Prando / 12 December, 2018

Mergulhado em beats de R&B e música eletrônica, Saro é um dos artistas de maior frescor da cena musical underground norte-americana.

Um dos multi-artistas mais promissores dos últimos anos é o cantor Saro. Natural de Los Angeles, aos 28 anos, ele lançou em 2016 o EP visual ‘In Loving Memory’. Produzido e composto pelo próprio artista, o material mostra a que o artista veio: uma atmosfera eletrônica e R&B, extremamente sensível, esfumaçada e melódica, sem se esquecer é claro de seus característicos falsetes vocais, que fazem rememorar o POP vibrante e romântico dos anos 90:

“A música sempre esteve dentro de mim, mas nada disso tomou forma até eu ter confiança pra criar algo de que eu me orgulhasse. Me tornar um artista não foi uma decisão; foi algo que gradualmente aconteceu… Nos primeiros anos em que eu fiz música, eu não me referia a mim mesmo como artista – eu deixei esse título surgir a partir dos meus colegas.”

Seu lançamento mais recente é o EP ‘Boy Afraid’, produzido em conjunto a David Burris, onde o cantor saro continua a expressar-se sonoramente através de samples eletrônicos e levadas inspiradas por black music. No lead-video do trabalho, o artista aparece interpretando uma coreografia inspirada por dança contemporânea, sua forma de enfrentar seus demônios após a morte de seu melhor amigo:

“Visual é tudo pra mim. Quando eu era mais novo, era obcecado em assistir clipes na MTV. Colaborar na criação de visuais é lindamente gratificante e é uma maneira importante de elevar a música e expandir a história que está sendo contada. Eu acredito que consumir arte é uma experiência sensorial, então, enquanto artista, quanto mais sentidos puder estimular, melhor.”

Carregando o legado de Beyoncé, artista norte-americana que tornou popular o formato de álbum-visual depois de ‘Lemonade’ (2016) e ‘BEYONCÉ’ (2014), discos que contém videoclipes para todas as suas faixas e desafia o formato de single, atual tendência do mercado fonográfico. Com influência diversa, o artista explica como funcionou seu gosto musical durante a adolescência, o que ainda permeia sua sonoridade:

“Eu me envolvi em quase todos os gêneros da minha adolescência. Eu era bem maconheiro em um período, então fiquei bastante interessado por Bob Marley e rock clássico. Eu sempre estive entre o hip-hop mainstream e o underground. Eu tive até mesmo uma fase rave. Minha inspiração vem do ápice de todos esses gêneros que eu amo. Mais específico, algumas das pessoas que me inspiraram infinitamente são Morrissey, Thom Yorke, Michael Jackson e Enya. O álbum ‘Disintegration’ do The Cure é algo que eu ainda ouço quando me sinto sem inspiração.”

cantor saro

Recentemente muitos artistas apareceram e desconstruíram padrões de gênero e sexualidade, não só no Brasil – como a cena da nova MPB encabeçada por Liniker, Johnny Hooker, Jaloo e Pabllo Vittar – mas também ao redor do globo, como Janelle Monae, RuPaul, Robyn e outros. Essa desconstrução também aparece no trabalho do cantor saro, que dialoga com uma masculinidade sensível, andrógina e delicada, que diverge das exigências da hétero masculinidade exigida pela matriz patriarcalista:

“Eu sou atraído pela androginia e fluidez, então eu mantenho essas ideias presentes no meu trabalho. Eu descobri que pensar fora da binariedade permite uma extensão mais ampla de experiência e crescimento. Eu também não gosto que me digam o que eu posso ou não posso vestir ou com quem eu posso ou não posso transar.”

cantor saro

Nos palcos, o cantor saro teve uma agenda importante em 2018: ele estreou no Festival Bonnaroo, um dos maiores dos Estados Unidos, depois de participar de Festivais como SXSW, Day For Night Festival e Northside Festival, como ato de suporte ao artista Miguel:

“Eu não sei muito sobre o mundo da arte performática, mas a ideia disso me inspira muito. Pra mim, é sobre mostrar às pessoas algo que elas nunca viram antes e arriscar. As pessoas amam o drama. Não tem nada como o barato que você tem fazendo algo que te dá muito medo. Se uma ideia não me dá esse pico de excitação, não está sendo levada longe suficiente.”

cantor saro

Por enquanto, toda sua estética visual é soturna e minimalista, algo como se ele vivesse num filme pós-apocalíptico de ficção científica, o que ele revela é que gostaria de apresentar-se com estéticas diferentes no futuro, tal como outros grandes ícones POP masculinos. Camaleônico e esponjoso, ele fala sobre sua relação com a moda:

“Eu odeio fazer compras, mas amo moda. Eu normalmente tenho uma abordagem minimalista com meu estilo porque minimalismo é eterno. Embora eu fantasie, sim, sobre performar em peças mais ousadas no futuro.”

Quando pedimos para o cantor saro revelar três segredos, ele diz:

 “Sou um gamer, tenho aracnofobia e nunca vou parar de criar.”

Gosta de música? Veja também nossas entrevistas com outros grandes nomes da cena musical contemporânea, como o cantor pop SISO, o rapper Rincon Sapiência ou o psicodélico Filipe Catto.

Tradução: Gustavo Andrade
Fotos: ®Reprodução

O que você achou?