Nav icon
Lifestyle

Festival de música Electric Zoo carimba sua marca no Brasil

Postado por Thássio Marcelo Aragão / 28 April, 2017

Rolou pela primeira vez no país um dos maiores festivais americanos de música eletrônica, que reuniu em três palcos, durante doze horas, artistas renomados no Brasil e no mundo.

Choveu e muito, mas nada estragou o brilho da primeira edição do festival nova-iorquino Electric Zoo em São Paulo. Lotando o Autódromo de Interlagos, o evento de música eletrônica contou com uma estrutura de três palcos – King Cobra Stage, Awakenings Stage e Tree House Stage – onde se apresentaram alguns dos DJs mais renomados do Brasil e do mundo.

Para quem ainda não conhece, o Electric Zoo foi criado em 2009 e hoje é um dos principais festivais americanos, com edições anuais que atraem dezenas de milhares de pessoas frenéticas de todos os lugares possíveis. O line-up reúne vários expoentes da música eletrônica mundial, tanto da cena underground quanto mainstream, resultando num cardápio musical para agradar aos gostos mais diversos. Sua mais recente realização foi em setembro de 2016, mas o festival também já teve edições no México, Japão e China. E agora carimbou seu passaporte de vez em terras brasileiras, promovendo neste ano, talvez, a maior festa desse estilo no país.

A essência do festival é a interação dos elementos urbanos com a natureza, e a combinação desses elementos com a música. Como num zoológico, o espaço foi tomado por animais – não reais, mas em esculturas, design de palco e artistas trajados, além do público que foi fantasiado -, que ganham uma atmosfera tecnológica por causa da arquitetura da cidade e da música.

Tanto nossa cobertura audiovisual para WE TV como as fotos oficiais da galeria mostram que a experiência inspirou o público, que fritou por horas na frente do palco principal de arquitetura neo-futurista King Cobra Stage. Por ele passaram os artistas da música eletrônica mainstream, como Hardwell (Holanda), KSHMR (Estados Unidos) R3hab (Holanda), Vintage Culture (Brasil), Alan Walker (Inglaterra), The Jillionaire (Trindade e Tobago), Bruno Martini (Brasil), The Juns (Brasil), Elekfantz (Brasil) e Júnior C (Brasil).

Já o Awakenings Stage possuía o mesmo conceito do festival holandês homônimo, que é um dos maiores de techno music do mundo, e que celebra 20 anos de sucesso em 2017. Nele tocaram Bart Skils (Holanda), Enrico Sangiuliano (Itália), que se apresentaram juntos no estilo back-to-back; ANNA (brasileira baseada na Espanha); Pig & Dan (Espanha); Gui Boratto (Brasi); Nic Fanciulli (Inglaterra), Eudi (Brasil) e Soldera (Brasil).

E o Tree House Stage foi voltado para artistas nacionais da música underground, e contou com a presença de Chemical Surf, Malik Mustache, Illusionize, Dazzo, DozzieDubdogzFractall, Hot Bullet, KVSH, Liu e Michael Kane.

Quem foi saiu sem ter muito do que reclamar, nem mesmo da chuva. Pisa menos Electric Zoo e volte sempre!

Vídeo: Erick Amorim para WE TV

O que você achou?