Nav icon
sexta-feira 13
Cult +

13 Filmes de Horror Para Você Assistir na Sexta-Feira 13

Postado por Alisson Prando / 12 April, 2018

Fizemos uma lista com os melhores filmes de terror de todos os tempos – para você tremer de medo.

Há uma tradição, principalmente na cultura ocidental, que associa o número 13 e também a sexta-feira ao azar. Por isso, o dia 13, quando cai na sexta-feira, é considerado um dia de infortúnio, e os mais supersticiosos evitam alguns hábitos. Não se sabe exatamente qual seria a origem do medo das pessoas em relação à sexta-feira 13, mas existem algumas lendas:

Segundo uma história de origem nórdica, o deus Odin teria realizado um banquete e convidou outras doze divindades. Loki, deus da discórdia e do fogo, que não teria sido convidado para a reunião, ao ficar sabendo do banquete, armou uma confusão que terminou na morte de um dos convidados. Diz a superstição que um encontro com 13 pessoas sempre termina em tragédia.

sexta-feira 13

Existem algumas versões que justificam a má fama da data, uma delas ligada ao cristianismo. Em sua última ceia, que aconteceu em uma quinta-feira, Jesus teria se reunido com seus 12 discípulos, totalizando 13 pessoas na refeição. Entre eles, estava Judas, o traidor. Jesus morreu no dia seguinte, uma sexta-feira.

A tradição cristã ainda une o fato de seu líder ter morrido em uma sexta-feira ao fato de o livro do Apocalipse apontar o número 13 como a marca da besta, do anticristo. A imperfeição do número 13 também está ligada às inúmeras referências ao número 12 na Bíblia (12 tribos de Israel e 12 discípulos), sendo assim, o número 13 destoaria do projeto de Deus.

Nos cinemas, é tradicional que as pessoas assistam a filmes de horror e suspense na sexta-feira 13, desafiando o azar e o mau agouro, por isso, selecionamos entre clássicos e lançamentos alguns dos melhores filmes de horror para curtir um cinema em casa. Vai encarar algum desses?

CORRA!

Jordan Peele
2017

sexta-feira 13

Dirigido por Jordan Peele, ‘Corra!’ usa o racismo como metáfora do terror, portanto é um filme obrigatório a todos aqueles que discriminam ou subalternizam outras pessoas por suas etnias que desviam da caucasianidade compulsória.

Conta a história de Chris (Daniel Kaluuya), jovem negro que está prestes a conhecer a família de sua namorada caucasiana Rose (Allison Williams). A princípio, ele acredita que o comportamento excessivamente amoroso por parte da família dela é uma tentativa de lidar com o relacionamento de Rose com um rapaz negro, mas com o tempo, Chris percebe que a família esconde algo muito mais perturbador. Foi indicado ao Oscar e vencendo como Melhor Roteiro Original.

MÃE!

Darren Aronofsky
2017

sexta-feira 13

Livremente inspirado por ‘O Bebê de Rosemary’, na Bíblia e as teorias misóginas aristotélicas, Aronofsky dirigiu todo o sofrimento de Jennifer Lawrence, sua ex-namorada, num filme impactante que dividiu as opiniões dos críticos de cinema e do público geral.

Um casal vive em um imenso casarão no campo. Enquanto a jovem esposa (Jennifer Lawrence) passa os dias restaurando o lugar, afetado por um incêndio no passado, o marido mais velho (Javier Bardem) tenta desesperadamente recuperar a inspiração para voltar a escrever os poemas que o tornaram famoso. Os dias pacíficos se transformam com a chegada de uma série de visitantes que se impõem à rotina do casal e escondem suas verdadeiras intenções.

O EXORCISTA

William Friedkin
1973

sexta-feira 13

É basicamente um dos filmes de horror mais importantes da história do cinema. Quem era ao menos adolescente na década de 1970, testemunhou a atmosfera de medo e angústia que predominou naquela época, por diferentes motivos. Nos EUA, foi o horror do Vietnã que deu origem a produtos culturais como este, onde a fé no mais sagrado e as crenças mais sólidas passaram a ser fortemente questionadas.

Com efeitos especiais inovadores para época, trilha sonora tensa, ‘O Exorcista’ se passa em Georgetown, quando a filha de doze anos de uma famosa atriz começa a apresentar sintomas de possessão. Deste modo, ela pede ajuda a um padre, que é também um psiquiatra, e este chega à conclusão de que a garota está possuída pelo demônio. Ele solicita então a ajuda de um segundo sacerdote, especialista em exorcismo, para tentar livrar a menina desta terrível jornada.

A INVASORA

Alexandre Bustillo & Julien Maury
2007

sexta-feira 13

Um prato cheio para quem gosta de gore, bons efeitos visuais e maquiagens de horror, o francês ‘A Invasora’ garante ao espectador horas de tensão. É um filme que abala os nervos e surpreende qualquer veterano do mundo do horror. Lucio Fulci, o pai do gore, ficaria orgulhoso por esse filme.

Conta a história de Sarah, uma jovem fotógrafa, sozinha na noite de Natal. Ela está assim desde que seu marido morreu num acidente de carro. Só e grávida, recebe apenas as visitas de sua mãe dominadora e de seu chefe egocêntrico. A noite de Natal é o último dia antes de ir para o hospital ter seu bebê. Mas o silêncio de sua casa é quebrado quando uma misteriosa mulher bate à sua porta. Sarah desconfia e não atende. Todavia, a mulher se recusa a ir embora. Quando as coisas começam a se complicar, Sarah fica temerosa e chama a polícia, enquanto a mulher a observa pela janela.

PSICOSE

Alfred Hitchcock
1960

sexta-feira 13

Uma obra-prima que até hoje permanece relevante e atual, ‘Psicose’ estava a anos luz de seu tempo trazendo tabus sociais em sua época como transgeneridade, a psicanálise no cinema, e também adultério. Com efeitos especiais novos para os anos 60, ‘Psicose’ tem a famosa cena da mulher assassinada a facadas no chuveiro – o que poucos sabem é que o sangue foi feito com calda de chocolate, e o barulho das facadas foi gravado, na verdade, com uma melancia.  A trilha sonora universal de assassinato, quase um hino que foi imortalizado. Os tons de cinza, a edição, direção e música dão um choque enorme para os espectadores. Isso sem contar no final, totalmente imprevisível.

Marion Crane rouba a firma em que trabalha e foge para recomeçar sua vida. Uma tempestade a faz parar num hotel de beira de estrada, onde é recebida pelo estranho, porém afável, Norman Bates, que cuida do lugar. Quando Marion desaparece, sua irmã e o amante decidem investigar.

VIOLÊNCIA GRATUITA

Michael Haneke
1997|2007

sexta-feira 13

Com direção extremamente teatral, ‘Violência Gratuita’ pode ser considerado um clássico da misantropia no cinema. Através de um elenco calibrado, Haneke consegue montar uma atmosfera aterrorizante e construir um filme que é a máxima do terror psicológico, sendo assim, não espere por violência física.

A trama envolve a dona de casa de classe média Anna, seu marido George e seu filho de 10 anos de idade Georgie. A família vai passar um fim de semana de feriado em uma casa de veraneio isolada, perto de um lago. O casal é aterrorizado por dois inesperados visitantes: os jovens psicopatas Peter e Paul, que os fazem de reféns, utilizando a família em uma espécie de jogo sádico, violento e doentio.

MÁRTIRES

Pascal Laugier
2008

sexta-feira 13

Inspirado por Nietzsche, o filme é uma grande representação de niilismo negativo feito especialmente para àqueles que tem estômago – inquietante, mordaz, cortante – não faltam adjetivos para classificar essa obra francesa. Com a direção de Pascal Laugier, o longa foge dos clichês e maneirismos do cinema de horror hollywoodiano, oferecendo uma abordagem crua e intensa de cada acontecimento encenado com maestria por todo o elenco. Vale destacar também a maquiagem que, apesar de simples, causa enorme impacto visual e enleva a qualidade do filme.

França, começo dos anos 70. Lucie uma garota de 10 anos, esteve desaparecida por um ano quando é finalmente encontrada numa estrada, louca e desorientada, sem conseguir contar o que aconteceu. Seu corpo apesar de maltratado não tem indícios de violência sexual, então é levada a um hospital onde se afeiçoa a outra garota chamada Anna, que passa a cuidar dela e estreitar os laços de amizade para que supere a experiência traumática que viveu. 15 anos depois, Lucie está completamente fora de controle, em busca dos responsáveis por todo aquele sofrimento, envolvendo Anna em acontecimentos com consequências imprevisíveis.

SEM SAÍDA

James Watkins
2008

sexta-feira 13

Com argumento de tratar sobre a irresponsabilidade familiar e a violência entre os jovens na Europa, ‘Sem Saída’ é um retrato de que os homens são produtos de seu meio. O filme tem roteiro imprevisível, fotografia claustrofóbica e é aterrorizante justamente porque apresenta uma situação que poderia acontecer com qualquer um de nós.

Steve planejou um fim de semana romântico com sua namorada Jenny, à beira de um belo lago, onde pretende pedir a mão dela em casamento. Logo que chegaram, foram incomodados pela presença de adolescentes arruaceiros, que não gostaram nem um pouco dos visitantes. Depois de um acidente entre os grupos, o líder da gangue adolescente, Brett, instiga seus amigos a apedrejar o carro do casal e segui-los pela floresta. Em pouco tempo Steve é pego, amarrado e torturado pelos garotos. Jenny assiste a tudo e tenta fugir para buscar ajuda e salvar a sua vida e de seu noivo.

REJEITADOS PELO DIABO

Rob Zombie
2005

sexta-feira 13

É o melhor filme de Rob Zombie – espere por violência desmedida, sangue, western rock e uma estética suja de road movie. O filme acompanha a jornada de uma família de psicopatas e serial killers que não medem em momento algum seu sadismo.

O roqueiro Rob Zombie (ex-White Zombie) escreve e dirige ‘Rejeitados pelo Diabo’, um faroeste mega-violento em ritmo de punk rock da telona. Emboscados em sua própria casa pelo xerife Wydell (William Forsythe), a família Firefly revida o fogo, mas só Otis e sua irmã Baby conseguem escapar. Num motel de beira de estrada, os irmãos chamam seu velho parceiro Capitão Spaulding (Sig Haig) e chacinam quem lhes atrapalhar o caminho. A violência aumenta e Wydell decide cruzar a linha e fazer justiça com as próprias mãos, num dos mais depravados e aterrorizantes duelos da história do cinema.

SUSPIRIA

Dario Argento
1977

sexta-feira 13

Um ótimo representante do gênero giallo e da grandiosidade do trabalho de seu diretor, Dario Argento, ‘Suspiria’, com suas cores fortes, é um banho gore e uma aula de como fazer cinema de horror. A fotografia deslumbrante e até hipnotizante se une a trilha sonora macabra nesse mistério italiano que com certeza deve ter assustado muita gente na época de seu lançamento, que dirá até hoje. Para quem gosta de filmes bem feitos e clássicos do horror, é um prato cheio.  Ainda, deve se ter em mente que as imagens do filme não funcionariam sem a pesadíssima trilha sonora, que imprime uma sensação de mal iminente nunca sentida antes em um filme do gênero. Inclusive Argento teria relatado que seu desejo era fazer um filme que fosse semelhante a um pesadelo para os sentidos, sensação que é alcançada no filme. Muito influente, é possível perceber sua influência em filmes recentes e famosos, como ‘O Cisne Negro’.

Susan (Jessica Harper) é uma jovem americana que viaja para a Europa para estudar numa prestigiada escola de Balé. Desde o primeiro dia, porém, ela começa a se assustar com estranhas situações que ocorrem no local que a fazem crer que há bruxas por toda a parte.

O ILUMINADO

Stanley Kubrick
1980

sexta-feira 13

Formada pela tríade sagrada: história de Stephen King, direção de Stanley Kubrick e atuação de Jack Nicholson, ‘O Iluminado’ deu o tom dos filmes de horror e mistério na década de 80. Nesse filme, fica perceptível a obsessão do cineasta com a perfeição em todos os seus takes e enquadramentos – a fotografia é deslumbrante, tanto quanto a trilha sonora, e os atores dirigidos por ele. Tem cenas marcantes, como as gêmeas fantasmas, ou Jack Nicholson destruindo uma porta de madeira a machadadas.

Durante o inverno, um homem, é contratado para ficar como vigia em um hotel no Colorado, e vai para lá com a mulher e seu filho. Porém, o contínuo isolamento começa a lhe causar problemas mentais sérios e ele vai se tornado cada vez mais agressivo e perigoso, ao mesmo tempo que seu filho passa a ter visões de acontecimentos ocorridos no passado, que também foram causados pelo isolamento excessivo.

JOGOS MORTAIS

James Wan
2004

sexta-feira 13

Com orçamento limitado e uma ideia original, ‘Jogos Mortais’, o primeiro filme da franquia multimilionária de James Wan, é com certeza o melhor da série. Verdade que os outros sejam mais gore, porém nada supera a simplicidade aterrorizante desse longa, feito praticamente em um único cenário – um banheiro com corpos acorrentados em canos de metal. Tecnicamente engenhoso, tenso e muito bem planejado, o filme envolve facilmente e aproveita bem a ideia em que um sádico brinca com humanos como se fossem fantoches para ver até onde são capazes de ir para salvar sua própria vida, além, é claro, de contar com um final memorável e surpreendente.

Jigsaw é um assassino que possui uma marca registrada: ele deixa em suas vítimas uma cicatriz em forma de quebra-cabeças, que faz com que elas cometam atos agonizantes para se salvar. O detetive David Tapp (Danny Glover) é designado para investigar os assassinatos, bem como a capturar seu autor. Porém o caminho evasivo seguido por Jigsaw leva o detetive a desenvolver uma obsessão por capturá-lo.

PÂNICO

Wes Craven
1996

sexta-feira 13

Wes Craven homenageia muitos e muitos filmes de terror, clássicos, com muitas referências inteligentes. Inclusive ele brinca com a própria série do ‘A Hora do Pesadelo‘, que ele dirigiu apenas o primeiro. O filme é metalinguístico: o personagem cinéfilo é a chave para tudo isso, e também sua fonte das referências, com muito humor ele debocha dos clichês da década anterior, que inclusive ele fez parte. Aqui sim, se encontra o grande humor negro do diretor. ‘Pânico’ foi mania nos cinemas dos anos 90 e também nas locadoras em sua época de lançamento. É o filme que popularizou novamente os slashers, com pitadas de giallos com o whodunit, que influenciou vários outros filmes sucessores. Um importante marco no cinema do gênero.

Um grupo de jovens enfrenta um assassino mascarado que testa seus conhecimentos sobre filmes de terror. A pequena cidade de Woodsboro nunca mais será a mesma.

Fotos: ®Reprodução

O que você achou?