Nav icon
steven meisel
Cult +

As provocações fotográficas no portfólio de Steven Meisel

Postado por What Else Mag / 10 July, 2018

Um dos mais celebrados fotógrafos da indústria da moda dedica sua carreira a provocar e ironizar a sociedade norte-americana.

Um dos principais fotógrafos de moda do mundo é também um homem intensamente reservado sobre sua vida pessoal, o que difere radicalmente de suas fotografias eróticas, expressivas e revolucionárias. Madonna já posou para suas lentes, bem como as supermodels noventistas e marcas como Prada, Valentino, Dolce & Gabbana e Versace. Steven Meisel, nascido em New York no ano de 1945, tem constantemente seu trabalho veiculado em grandes plataformas, como as revistas Vogue, W e Harper’s Bazar.

steven meisel

Campanha de Primavera/Verão 2018 da Versace

Seu fascínio pela beleza e modelos começou em uma idade jovem. Naquela época, Meisel não brincava com brinquedos – em vez disso ficava vidrado em mulheres o tempo todo, chegando a desenha-las em papel. Ele costumava se voltar para revistas como Vogue e Harper’s Bazaar como fontes de inspiração para seus desenhos. Steven Meisel sonhava com mulheres da alta sociedade como Gloria Guinness e Babe Paley, que personificavam a seus olhos as ideias de beleza e alta sociedade. Outros ícones eram sua mãe e sua irmã.

steven meisel

Editorial “Performance” para edição de Setembro 2009 da Vogue Italia

Como ele ficou obcecado com modelos como Twiggy, Veruschka e Jean Shrimpton, aos 12 anos de idade, ele pediu para algumas amigas contactar agências de modelos e, fingindo ser secretárias de Richard Avedon, elas conseguiram fotos para Meisel. Para conhecer a famosa modelo Twiggy, Meisel, de 12 anos, ficou do lado de fora esperando por ela no estúdio de Melvin Sokolsky.

steven meisel

Editorial “Make Love, Not War” para edição de Setembro 2007 da Vogue Italia

Ele estudou na Escola Superior de Arte e Design e Parsons The New School for Design, onde frequentou diferentes cursos, mas formou-se em Ilustração de Moda. Meisel nunca pensou que ele poderia se tornar um fotógrafo. Ele admirava fotógrafos como Jerry Schatzberg, Irving Penn, Richard Avedon e Bert Stern. Ele sentiu que a ilustração era uma coisa do passado e encontrou a fotografia como um meio para mostrar sua visão de mundo.

Não é porque as fotos são controversas que eu gosto, mas porque eles dizem um pouco mais do que apenas uma mulher linda em vestido. Eu também amo isso, mas tentar dizer algo para além disso também é meu objetivo“. -Steven Meisel

steven meisel

Editorial “Too Shy Shy… Hush Hush” para edição de Outubro 2009 da Vogue Italia

Como um dos mais poderosos fotógrafos da indústria da moda, Meisel é creditado com promoter de carreiras de muitos modelos de sucesso, como Linda Evangelista e Naomi Campbell. Ele usou sua influência entre a elite da moda para criar uma edição da Vogue que mostrasse apenas modelos negros. Ele também lançou a carreira de Ross Van Der Heide, um jovem estilista, mostrando a arte de Ross para Anna Sui.

steven meisel

Editorial “Wild Is the Wild” para edição de Junho 2010 da Vogue Italia

Steven Meisel tem um estilo único e inovador que se reflete em cada produção, pois utiliza sua própria técnica, e é responsável por estar presente em cada detalhe, para direcionar a postura dos modelos, a expressão e a atitude. Essa principal característica que torna um fotógrafo de moda diferente dos outros e para o qual é tão reconhecido.

steven meisel

Editorial “So Young, So Cool” para edição de Fevereiro 2009 da Vogue Italia

Apaixonado por seu trabalho, Steven se inspira no charme dos modelos que retrata, que segundo os mesmos, formam belas pinturas. Por tudo isso é que o fotógrafo mostra, em cada uma das suas obras e à primeira vista, uma imagem que vai mais além de apenas um retrato da moda.

Grunge – Vogue, dezembro de 1992

steven meisel

Steven Meisel é creditado como um dos principais fotógrafos a introduzir a grunge culture para o mainstream. Esta imagem atemporal Vogue poderia ter sido tirada apenas em 1992. Mas a androginia foi demais para Anna Wintour, que se recusou a publicar a série de fotos. Felizmente, o então diretor editorial da Condé Nast, Alexander Liberman, conseguiu reverter a decisão de Anna Wintour.

Madonna – SEX Book, 1992

steven meisel

Outra das fotografias favoritas de Steven Meisel – e talvez a mais icônica de todas – é as fotos provocadoras de Madonna para seu livro, Sex. Madonna possui uma confiança abafada capturada de forma brilhante. Os dois são amigos há anos. A confiança entre eles é óbvia aqui. Em 2012, a foto foi vendida por incríveis US $ 23.750 – uma prova do talento de Steven Meisel.

Assexual Revolution – W Magazine – 2004

steven meisel

Steven esteve brincando com gênero por um longo tempo. Sua série ‘Asexual Revolution’ foi a primeira vez que ele trabalhou para a W Magazine. Na série: modelos masculinos em papéis femininos, flexões de gênero no seu melhor grau. Ele se aproveita do zeitgeist cultural – como sempre – dando ao mainstream norte-americano uma visão que eles só tinham visto em pequenas revistas independentes.

Supermodels – Vogue, 1989

steven meisel

É seguro dizer que existe uma relação especial entre Steven Meisel e as supermodels. Linda Evangelista, Naomi Campbell, Christy Turlington, Kristen McMenamy, Karen Elson… Ele elevou cada uma de suas carreiras. Aqui, Naomi e Christy são exibidas em cenas de bastidores, mas ainda assim totalmente glamourosas, checando os dentes por manchas de batom.

Controversy – Vogue Italia, 2011

steven meisel

Desde a criação de uma edição em preto da Vogue Itália, que combate o racismo, e fotografa mulheres apavoradas e em forma de cadáver para a causa da violência doméstica, Steven Meisel gosta de provocar polêmica. Mas ele sempre faz isso por um motivo: esta foto horrível de uma engasgada Kristen McMenamy aumentou a conscientização sobre o derramamento de óleo no Golfo do México. O debate que se seguiu depois do ensaio era se a moda deveria discutir esse tipo de questões. A resposta de Meisel é “sim”.

Covers – Vogue Italia, 2011

steven meisel

Meisel produziu algumas das capas mais estimulantes lá fora. Esta capa com Stella Tennant, era sobre a disciplina da moda. A cintura de Stella estava tão espartilhada que se tornou quase inexistente. Uma demonstração radical da dor que alguns passam em nome da moda.

Fotos: ®Reprodução

O que você achou?