Nav icon
What-Else-Mag-Manual-Marcas-Estilista-Das-Haus-Cover
Manual

O Sucesso de Felipe Fanaia e Rober Dognani na Das Haus

Postado por Thássio Marcelo Aragão / 8 September, 2016

Após 5 anos de parceria, 2 lojas na região mais descolada de São Paulo e várias coleções no currículo, a Das Haus de Felipe Fanaia e Rober Dognani engata nova fase e se firma como endereço querido dos jovens fashionistas e entusiastas por moda.

Quem frequenta a Rua Augusta do lado Jardins, em São Paulo, já deve ter cruzado com a elaborada vitrine da loja Das Haus. Ocupando um endereço novo há poucos meses (antes a loja ficava no primeiro piso da Galeria Ouro Fino, também na Augusta), o espaço reune o elaborado trabalho dos estilistas e amigos Felipe Fanaia e Rober Dognani. Apesar da parceria bem sucedida, a história de cada um tem um começo bem diferente, o que agregou ao portfólio de produtos e serviços do negócio.

O contato de Rober Dognani com a moda aconteceu ainda na infância, influenciado pela mãe costureira e cabelereira. Desde pequeno já tinha aptidão pelo desenho e gosto pela beleza. Auto didata, nunca estudou moda, mas aprendeu muito com as costureiras com o qual trabalhou, chegando a desenvolver seu próprio estilo de corte e costura sem a modelagem da roupa, que costuma ser bastante fluida e veste todo tipo de corpo. No ano de 2004 ingressou na semana de moda da Casa de Criadores, evento paulistano que prestigia o trabalho autoral de novas marcas e estilistas, desfilando suas criações até hoje. Nesse período sua roupa foi ganhando status na noite, atendendo uma clientela unissex que gosta de sair sem medo de ousar.

Já Felipe Fanaia, nunca teve afeição pelo universo da moda até conhecer Rober. Formado em Design de Interiores, seu interesse por roupas surgiu desse contato, levando ao lançamento da sua linha de camisetas e a abertura da primeira loja Das Haus. Das camisetas vieram outros itens do guarda-roupa masculino e em pouco tempo sua marca foi criada, entrando em 2012 na Casa de Criadores como Projeto Lab (concurso aberto a marcas e estilistas iniciantes, que possuem ou não experiência). Fazendo uma moda divertida, inspirada em elementos da cultura pop, Fanaia passou a atender uma clientela que seu parceiro não conseguia, por meio de roupas coloridas e cheias de humor.

Com cinco anos de experiência conjunta e um trabalho orgânico que se complementa, a dupla criou uma maneira genuína de fazer moda, sem a pressão das tendências comerciais e da segmentação de gênero. A experiência do cliente é o que importa e foi pensando no seu desejo por exclusividade, atrelado a originalidade das roupas, que a Das Haus passou a vender mais peças únicas, personalizadas e sob medida. Uma iniciativa que rema contra a maré atual do fast fashion, com araras abarrotadas de roupas iguais.

O conceito da loja é moderno e pensado para o novo consumidor de moda que gosta de vestir algo especial, feito apenas para ele e com preço justo (vulgo slow fashion). Além das roupas emblemáticas dos desfiles, a Das Haus recebe itens novos pelo menos três vezes por semana, com inspiração diversa. Sem estoque, tudo que é criado pela dupla vai direto para os cabides, pronto para vender.

Diferentemente das outras lojas da região, a Das Haus é um espaço democrático, sem nichos de clientes e roupas segmentadas. Dentro do estilo criado pelos estilistas, a demanda é formada por pessoas de todas as idades, gêneros, cores, classes e credos. Um formato de varejo pouco explorado aqui no Brasil, mas que já começa a engatinhar com a popularização de termos como genderless na mídia especializada.

Com a nova loja de rua, os planos de Fanaia e Dognani são continuar atendendo pessoalmente seus consumidores, mantendo uma estrutura pequena que permite investir na qualidade dos produtos e acompanhar tudo de perto. Por meio das redes sociais o mundo vai conhecendo a Das Haus, podendo fazer pedidos e  seguir os passos da dupla. Enquanto a loja no número 2470 da Rua Augusta é para muitos como uma casa de amigos que não paramos mais de ir.

O que você achou?